http://www.funap.sp.gov.br/site/

Governo do Estado de São Paulo




logo

Instituto Natus se reúne com a Funap para tratar de PCDs




Integrantes do Instituto Natus, com 10 anos de experiência na inclusão de pessoas com deficiência (PCDs) no mercado de trabalho, participaram de reunião na Fundação Professor Doutor Manoel Pedro Pimentel, a Funap, na rua Libero Badaró, 600, centro de São Paulo, para conhecer os trabalhos desenvolvidos com reeducandos do sistema prisional paulista.

O convite foi feito pelo assessor da Funap, Jorge Paulo Lino Rodrigues, objetivando formar uma parceria com a instituição que possibilite a transferência de conhecimento e formação de detentos portadores de deficiência para atuarem em trabalhos variados dentro e fora do sistema prisional.

Instituída em 1976, a Funap é responsável por gerenciar contratos de alocação de mão de obra carcerária com empresas públicas e privadas. O know how de mais de quatro décadas também se aplica às oficinas-escolas mantidas pela própria Fundação em unidades prisionais para confecção de produtos que ela comercializa, que vão de conjuntos escolares e de escritório a lâmina antichamas, vestuários e cadeiras de rodas.

De acordo com Lino Rodrigues, a Funap sempre se preocupou com a recolocação dos reeducandos no mercado de trabalho - incluindo os PCDs - e viu a possibilidade de ampliar o conhecimento técnico ao firmar a nova parceria com o Instituto Natus, especializado no assunto.

Conforme explica o assessor da Fundação, o Instituto atua na captação de pessoas com deficiência, seleção, treinamento e integração, além de realizar palestras a gerentes e encarregados de estabelecimentos variados, ministrando ainda aulas de Libras para suporte na contratação de deficientes auditivos.

Conta ainda o Instituto com banco de dados ativo composto por mais de quatro mil cadastros de PCDs, mantendo contato direto com os estabelecimentos empregadores, para os quais é fornecida mão de obra da pessoa com deficiência, sempre observando a compatibilidade do cargo.

A reunião contou com a presença do presidente do Instituto Natus, o engenheiro Jair de Andrade, e seu consultor associado, Victor Hugo Salles. Eles foram recebidos por Sebastião Romão e Reginaldo Caetano da Silva, diretor e superintendente, respectivamente, da Diretoria Adjunta de Atendimento e Promoção Humana (DIAPH), além do gerente André Vinicius Garcia e do assessor Jorge Paulo Lino Rodrigues, também da diretoria adjunta.

 

Norma

Lei Federal de Cotas 8213/91 determina que empresas com mais de 100 funcionários devem compor seu quadro funcional com, no mínimo, 3% de pessoas com deficiência.

De acordo com o Instituto Natus, a tais empresas não basta contratar PCDs, pois â??existem procedimentos que devem ser seguidosâ?. Um deles é observar o código CID (Classificação Internacional de Doenças) do portador de deficiência, se o cargo é compatível à contratação, bem como capacitar a PCD, realizando da melhor maneira possível seu processo de integração.

â??Não é apenas uma questão de atender à Lei de Cotas, mas uma questão de cidadania e dignidadeâ?, conclui Jair de Andrade.